Dicas e dúvidas

Dicas para dormir bem 

* Evite beber café em excesso 

* Não fume antes de dormir 

* Reduza o consumo de bebidas alcoólicas 

* Pratique exercícios regularmente 

* Procure dormir sempre no mesmo horário 

* O ambiente deve ser escuro e silencioso 

* A temperatura ideal do ambiente deve ser por volta de 18°C 

* Deite de lado e coloque um travesseiro entre os joelhos 

* Use colchão e travesseiro adequados a seu tipo físico 

* Não use seu colchão após a garantia 

* Troque o travesseiro quando este começar a "ceder" 

 

» Fonte: Cia do Sono 



Dicas de Sono

Fique por dentro de algumas dicas sobre como melhorar o seu sono e ter uma boa noite de descanço. 

Biotipo

Densidade

Recém nacidos e crianças de até 5 anos

D18

Até 50 Kg

D 23

Até 60 Kg - Acima de 1,50 m

D26

61 a 80 Kg - Acima de 1,50 m

D 28

81 a 100 Kg - Acima de 1,60 m

D 33

101 a 150 - Acima de 1,60 m

D 45

 

Hora de dormir e levantar: 

Quando vamos dormir tarde, temos a tendência de também levantarmos tarde, mas com isso não iremos dormir bem na noite seguinte.

O ideal seria levantarmos sempre no mesmo horário, independente da hora que dormimos. É claro que necessitamos levar em conta um mínimo de horas de sono.

 

Antes de ir pra cama: 

É muito interessante que tenhamos um ritual antes de dormir, executando as mesmas tarefas, sem correria ou excesso de preocupações. Estaremos desta maneira nos preparando para o sono. Neste caso a rotina ajuda muito. Organizar as tarefas do dia seguinte, escrevendo-as em um papel, pode deixar-nos tranqüilos para aproveitarmos a noite de sono.

 

Quantidade e qualidade: 

A qualidade do sono não se refere apenas ao número de horas dormidas. Um sono profundo pode valer mais do que muitas horas de um sono superficial e cheio de interrupções. Temos de dormir a quantidade de horas que o corpo necessita, que pode variar de pessoa a pessoa.

 

Dormir menos que o necessário: 

Entre outros fatores, poderá afetar até 50% da resistência do corpo a infecções provocadas por vírus e bactérias. Enquanto dormimos liberamos substâncias chamadas interleucinas, que trabalham na defesa do organismo.

 

Posição: 

Dormir virado de lado, com um travesseiro que tenha a altura aproximada do nosso ombro e outro entre as pernas, é uma excelente dica. Entretanto, cada um deve observar qual a posição lhe é mais adequada.

É importante evitarmos pressionar braços e pernas, pois uma má circulação, além de dificultar o sono, incentiva os pesadelos.

 

Dores nas costas: 

Segundo estudo realizado recentemente pelo conceituado jornal britânico Lancet, várias vezes é conseqüência de uma noite mal dormida. A pesquisa realizada na Espanha mostra que uma simples troca de colchão pode resolver este problema, que afeta uma boa parte da população mundial. No trabalho de pesquisa todos os colchões utilizados foram de molas.

 

Colchão certo: 

O Colchão deve ser adequado ao nosso corpo, atendendo em sua dimensão, conforto e sustentação.

 

Estresse: 

Nosso corpo não para de trabalhar, ainda mais quando se está dormindo. Neste momento uma das principais funções é eliminar o estresse e repor alguns tipos de hormônios.

 

Crianças e adolescentes: 

Na fase da infância e adolescência, cerca de 90% dos hormônios de crescimento são liberados enquanto dormimos. Conseqüentemente, as crianças e adolescentes com problemas para dormir podem desenvolver algum tipo de problema físico.

 

Vigor muscular e a flacidez corporal: 

Quando somos adultos a liberação do hormônio do crescimento continua, mesmo que em pequenas quantidades, e ainda durante o sono. Ele agora passa a ter outra função, a de manter o vigor muscular e combater a flacidez corporal.

 

Envelhecimento precoce e tumores: 

Os radicais livres são os responsáveis pelo envelhecimento e até alguns tipos de tumores. O corpo quando está em repouso, pode eliminá-los com mais intensidade.

 

Excesso de luz: 

A luz, desde os tempos primórdios da humanidade, serve como referência a nosso cérebro da hora de despertar. Ela funciona como um despertador natural. Quanto menor a intensidade da luz no quarto, melhor vai ser o sono. 

 

» Fonte: Colchões Castor Ltda


 

Cuidados com o Colchão

Como sei se está na hora de trocar o meu colchão? 

Um colchão dura em média 7 anos. Todavia, existe uma variação conforme o tipo de produto e fabricante. Devemos verificar no certificado qual o tempo de uso recomendado.

De qualquer maneira devemos ter a atenção freqüente para a situação do produto. Alguns sinais mostram que está na hora de trocá-lo. Verificar se existe alguma mancha ou coloração diferente, buracos ou sujeira. Estar desnivelado, com a densidade muito baixa e desconfortável, mostram também a necessidade da troca.

 

Se molhar com urina, como devo limpa-lo? 

Coloque toalhas, papéis toalha ou jornais para absorver o líquido. Faça uma vaporização com uma mistura de água e vinagre e coloque para arejar sem presença de sol. No material entregue pelo fabricante, normalmente ele indica como devem ser feitas as limpezas.

 

E se molhar com outros líquidos? 

O procedimento pode ser igual o citado acima..

 

Tenho alergia. Devo fazer algum tipo de limpeza especial? 

Manter o quarto livre de poeira e ácaros é importante, abrindo as janelas para que o ar circule, evitar tapetes e materiais que retenham poeira. Com isso a retenção no colchão também é muito menor. Virar o colchão uma vez por semana e colocá-lo para arejar sem a presença de sol.

 

Para eliminar bactérias, fungos e outros tipos de ácaros, recomenda-se que se pinte o quarto a cada ano. Como deve ser a manutenção e os cuidados? 

A maioria dos fabricantes faz a indicação sobre a melhor forma de manutenção. A Castor indica:

- Não coloca-lo em uso com o plástico da embalagem;

- Virar a cada 2 meses, conforme imagem abaixo:

- Não colocar objetos pontiagudos ou pesados;

- Não saltar ou dobrar;

- Evitar usar estrados sem ventilação, cobri-lo ou forrá-lo com plásticos ou cobertores;

-  O colchão precisa "respirar";

Caso haja alguma infiltração no quarto, deixa-lo o mais longe possível para evitar que apareçam mofos.

 

O que fazer com os colchões velhos?

Os materiais podem ser reciclados. Existem empresas que fazem o recolhimento. Doação. Algumas instituições aceitam doações. Elas realizam uma avaliação das condições antes de disponibiliza-los para uso.

Nunca os jogue em terrenos baldios ou rios.

 

» Fonte: Colchões Castor Ltda


 

Compra do Colchão

Informações a serem ponderadas na compra: 

Um colchão não deve ser duro ou macio. O mais adequado é que seja firme e que tenha o suporte correto. 

Saiba qual é a estrutura de suporte. 

Pondere sobre os materiais utilizados. 

Questione sobre o molejo usado na base. Faça o teste, deite-se por algum tempo. 

Invista o que for necessário, com certeza vale à pena.

 

Qual o tipo de colchão é o melhor para mim? 

Há a necessidade de ter as medidas internas da cama, pois é o espaço onde o colchão será colocado. Normalmente as medidas são:

 

Cama

Colchão

0,80 x 1,90m

0,78 x 1,88m

0,90 x 1,90m

0,88 x 1,88m

1,30 x 1,90m

1,28 x 1,88m

1,40 x 1,90m

1,38 x 1,88m

1,60 x 2,00m

1,58 x 1,98m

   

Colchões de molas em medidas americanas: 

Medidas Americanas

0,96 x 2,03m

1,00 x 2,00m

1,20 x 2,03m

1,80 x 2,00m

1,93 x 2,03m

 

Posso comprar sem experimentar o produto? 

A primeira compra Com certeza é muito interessante que você experimente o produto, ficando deitado por alguns minutos, e em várias posições. Ela não pode ser realizada com pressa. È uma compra importante, não somente pelo tempo de uso, como pelo bom tempo que passarão juntos. 

 

As demais compras 

Se você conhece as características do produto, a compra anterior foi adequada, e o produto não sofreu modificações, você pode pensar em compra-lo sem teste. Entretanto, experimenta-lo ainda vale muito à pena. 

 

Sou casado (a). Como atender as diferenças físicas? 

Indica-se que a opção seja pela maior densidade e medida, e os dois estejam presentes na compra, deitando no colchão para fazer os testes de adequação. 

 

Existe um colchão especial quando o parceiro movimenta muito durante o sono? 

Com a evolução tecnológica na fabricação de colchões, principalmente os de molas, foram desenvolvidos produtos que minimizam o efeito da movimentação de um dos parceiros na cama. Procure informar-se das opções na hora da compra. 

 

A cama faz diferença na escolha do colchão? 

A diferença começa pelas suas medidas. O encaixe perfeito do colchão é importante. 

As ripas devem possuir um espaço por volta de quatro centímetros entre elas, dando um melhor suporte e propiciando que haja ventilação.  

 

Como escolher entre colchões de mola e de espuma? Existem muitas diferenças? 

O colchão de molas tem por característica a propriedade de possibilitar alto conforto, resistência e durabilidade para pessoas até 150 kg. 

Os colchões de espuma possuem várias densidades, cada uma delas é indicada para uma determinada faixa de peso. Isso possibilita uma maior adequação do colchão a estrutura corpórea do usuário, aumentando o conforto e a durabilidade. 

 

Vale à pena investir um pouco mais em um colchão com qualidade? 

Em qualquer compra devemos avaliar a possibilidade de comprar produtos com maior qualidade. Mas, neste caso esta importância multiplica-se várias vezes, por causa do efeito que um produto de má qualidade pode causar nas pessoas.

 

» Fonte: Colchões Castor Ltda


 

A privação do sono tem levado os adolescentes a problemas

Está faltando sono de qualidade na noite dos adolescentes. A privação do descanso noturno predispõe os jovens a problemas sérios de saúde e comportamento. 

Males que até agora se acreditavam típicos de adultos insones, como a obesidade e a depressão, começam a se manifestar entre os mais novos. 

A última pesquisa sobre o assunto revelou que as noites maldormidas podem levar os adolescentes à hipertensão, um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares. 

Pesquisadores da Universidade Cleveland, nos Estados Unidos, acompanharam 238 meninos e meninas entre 13 e 16 anos que dormiam, em média, sete horas por dia duas a menos que a quantidade tida como ideal. Divulgado pela revista científica Circulation, o trabalho revelou que 26% dos jovens tinham dificuldade para pegar no sono ou acordavam freqüentemente durante a noite, o que elevou em 3,5 vezes o risco de hipertensão. Outros 11% dormiam menos de seis horas por noite e tiveram 2,5 vezes mais probabilidade de apresentar pressão alta. "O sono é um item fundamental para a vida saudável, mas raramente incluído na famosa e já tão batida combinação de dieta e exercícios físicos para a boa saúde", diz o neurofisiologista Flávio Alóe, do Centro de Estudos do Sono do Hospital das Clínicas, de São Paulo.

» Fonte: Anna Paula Buchalla» Autor:  Revista Veja» Site: http://veja.abril.com.br/030908/p_108.shtml